Vamos falar sobre o desenvolvimento das habilidades emocionais das crianças?

18 mar
0 comentário(s)

Cada vez que surgem, nos noticiários, manchetes sobre tragédias em escolas, cometidas por adolescentes e jovens tímidos e excluídos, reacendem as discussões acerca das causas, responsabilidades, bullying, tecnologia etc. Mas a verdade é que tudo passa pelo desenvolvimento das habilidades emocionais das crianças.

Mais do que nunca, é importante que pais e educadores trabalhem essas questões desde a primeira infância para que nossos filhos sejam jovens e adultos preparados para lidar com o mundo, cheio de desafios, em que eles estão crescendo.

No post hoje falamos um pouco mais sobre esse assunto, confira!

Por que ensinar habilidades emocionais para crianças?

O mundo muda em velocidade cada vez mais rápida. Estima-se que uma grande novidade ocorra a cada 12 horas no planeta. Tanto dinamismo demanda uma sociedade capaz de se adaptar rapidamente e isso exige de nós muito mais do que habilidades cognitivas, mas principalmente habilidades emocionais para lidar com problemas nunca antes vistos, em tempo recorde.

Dessa maneira, a educação mundial começa a focar no desenvolvimento de tais habilidades a partir do entendimento de que o aprendizado escolar deve ir além dos conteúdos formais. Na escola também se aprende a se relacionar, a lidar com o diferente, a trabalhar em equipe e a estabelecer metas para si mesmos e como alcançá-las.

Pode parecer que estamos falando da formação de jovens para o mercado de trabalho, mas a verdade é que a construção das habilidades envolvidas nesse processo — autoestima, empatia, comunicação, controle de emoções, entre outras — começa já na educação infantil.

Falar de habilidades emocionais na infância significa pensar no desenvolvimento dos pequenos como indivíduos, suas necessidades e seus sentimentos. Assim, preocupar-se com essas questões agora é aumentar as chances de que seu filho seja um adulto mais preparado para o mundo do futuro, incluindo mercado de trabalho, vida em sociedade, relações pessoais etc.

Quais as principais habilidades emocionais que as crianças devem desenvolver?

Agora que você já se convenceu do quanto é importante estimular seu filho a desenvolver certas habilidades desde a primeira infância, você deve estar se perguntando em quais delas focar. Afinal, por onde começar?

Autoconfiança

Essa, talvez, seja uma das mais importantes habilidades emocionais que seu filho deve desenvolver. A construção da autoconfiança passa pelo reforço positivo e pelo estímulo à autonomia. Não se trata apenas de elogiar seu filho por tudo, o que pode fazer com que ele não saiba lidar com críticas e nem reconhecer os próprios limites.

Porém, ao repreender, é importante explicar que a atitude está errada, sem rotular ou repreender a criança pelo sentimento. Além disso, é importante elogiar pelas razões certas, ou seja, reforce comportamentos positivos, como emprestar um brinquedo, ajudar um amigo, arrumar o quarto e não características como beleza e esperteza.

Por fim, lembre-se de deixá-lo tentar realizar pequenas tarefas, como escovar os dentes, comer sozinho, servir um copo d’água. Encoraje-o a fazer e certifique-se de que é seguro, porém, não fale coisas do tipo “não faça isso que você vai fazer sujeira, vai derrubar ou se molhar”, ensine e deixe-o experimentar.

Autoconhecimento

Outra habilidade essencial é ajudar o pequeno a se conhecer. Hoje, as crianças são bombardeadas por estímulos e escolhas, quando, muitas vezes, eles não tem maturidade para fazê-las. Guie seu filho nesse processo e reduza as opções.

Quando seu filho apresentar um comportamento específico, por exemplo, irritado ou agressivo, explique para ele o que ele está sentindo e porque. As crianças misturam muito as emoções, ele pode estar cansado, com fome, com ciúmes, enfim, nomeie os sentimentos para que a criança comece a se conhecer.

Paciência

Virtude essencial nos dias de hoje e uma das mais difíceis de se ensinar. A começar, porque nós mesmos falhamos em ter paciência com eles muitas vezes. Essa geração está acostumada com tudo pronto, instantâneo e sob demanda. O desenho favorito? É só entrar no Netflix ou Youtube que está lá! A fotografia nem precisa revelar, ela está lá na tela no celular pra ver na hora, ou até mesmo antes de bater, se for selfie.

Enfim, ensiná-los a esperar é um desafio, mas é preciso. Use os jogos para mostrá-los que cada um deve esperar a sua vez. Eles precisam aprender que cada coisa tem seu tempo, principalmente, para aprenderem a controlar a ansiedade, grande mal da atualidade.

Empatia

Palavra da moda nas redes sociais, a empatia é realmente essencial à construção de relações saudáveis e à formação de um cidadão consciente de seu papel social. No entanto, se colocar no lugar do outro é uma habilidade que a criança só começa a desenvolver lá pelos 3 ou 4 anos.

Por isso, antes disso você precisa ajudar. Além de dar o exemplo, você precisa apontar as consequências das ações. Por exemplo, se ela bateu no amigo, você pode mostrar que ficou vermelho e que está doendo, por isso não é legal bater e ela deve pedir desculpas.

Podemos falar um pouco de tolerância, já que ela e a empatia caminham juntas. Aprender a compreender e respeitar diferentes opiniões e vontades é uma habilidade essencial ao desenvolvimento infantil. Já que, quando pequenos, todos passam por uma fase egocêntrica.

Persistência

Resiliência e persistência também são fundamentais. A criança precisa perceber que, mesmo que ela não consiga na primeira tentativa, ela pode e deve continuar tentando. Tem a ver com a percepção de que alguns resultados só vêm com certo esforço e, principalmente, com lidar com a frustração.

Mostre que algumas tarefas precisam ser cumpridas em etapas e ajude-o a traçar planos para conseguir seus objetivos. Por exemplo, se ele quer montar um quebra-cabeças grande, estimule-o a começar pelos menores, depois mostre como fica mais fácil se ele iniciar pela borda ou separar as peças por cores.

Como fazer isso na prática?

Tanto o professor em sala de aula, quanto os pais em casa precisam ter em mente que o ensino de habilidades emocionais é diário, constante e simultâneo à aprendizagem dos demais conteúdos.

Apresente os sentimentos

O primeiro passo é ensiná-los sobre as emoções, nomeando os sentimentos à medida que eles vão se apresentando para que, em seguida, eles possam entender como lidar com elas.

Desenvolva essas habilidades em conjunto com as demais atividades

Não se trata de abordar os sentimentos como se fossem conteúdos teóricos. Crianças aprendem brincando, fazendo e praticando, por isso, é no contexto das atividades corriqueiras, tanto em sala de aula quanto em casa, que devemos aproveitar para ensinar essas habilidades.

Seja o exemplo

Ninguém pode ensinar o que não sabe. Por isso, mais importante do que o discurso são as ações. Não adianta exigir do seu filho um autocontrole que você mesmo não tem. Pedir que façam silêncio gritando, ensinar que bater é errado dando palmadas, ou querer que ele seja calmo e tranquilo se você só fala com ele brigando.

Assim, desenvolver as habilidades emocionais das crianças é uma responsabilidade de toda a sociedade e é o maior legado que podemos deixar para as nossas crianças e para o mundo que eles viverão no futuro.

Se você acha que precisamos falar sobre isso, compartilhe este texto nas suas redes sociais.

Deixe seu comentário