Como ajudar uma criança com medo a se livrar desse problema?

12 jun
0 comentário(s)

Se na vida adulta o medo pode atrapalhar as relações sociais e o trabalho, na infância ele chega a ser ainda mais prejudicial, podendo deixar traumas para toda a vida. Criança com medo é comum, pois é durante esse período que muitas descobertas são feitas, e o contato com o desconhecido pode assustar.

Contudo, o medo na infância não deve ser ignorado ou tratado como “bobagem”, e ajudar a superá-lo é importante para a formação da criança durante as fases de seu desenvolvimento.

Se a sua dúvida é como ajudar os pequenos a se livrarem desse problema tão comum, continue a leitura e confira as dicas!

Conheça os medos comuns de cada fase

Em bebês de até um ano, o temor envolve distanciamento dos pais, ruídos fortes, pessoas estranhas e situações desconhecidas. Em crianças de um a três anos, os medos podem envolver tempestades, monstros, escuro e a necessidade de dormir sozinha.

Entre quatro e sete anos, elas temem se perder, serem esquecidas na escola e até mesmo o divórcio dos pais. Já a partir dos oito anos, o receio passa a ser da rejeição social, da própria morte ou a dos pais.

Escute e converse com a criança

A correria do dia a dia pode minimizar o contato de pais e filhos, no entanto, ainda que trabalhar para garantir que nada falte aos nossos dependentes seja importante, eles precisam de mais do que isso.

A criança deve ser ouvida, pois, ao contrário do que muitos pensam, mesmo que ela ainda esteja em desenvolvimento, ela tem uma personalidade. Sendo assim, converse com seu filho, escute a razão de ele ter aquele medo e tente explicar que não há motivos para aquilo.

Transmita confiança para a criança com medo

Durante a conversa, é importante transmitir confiança à criança, e explicar o que há por detrás da situação que a assusta, de forma sincera e sem dramatização — pode funcionar muito bem. Muitas vezes, explicações simples podem dar conta de minimizar e até acabar de vez com os medos.

Se ela teme o barulho de uma tempestade, por exemplo, explique que as chuvas são necessárias para preservar os rios e mares, e que dentro de casa há toda a segurança, pois, a construção é feita para evitar acidentes.

Proponha brincadeiras e leituras

Essa dica pode ajudar muito quando o medo está relacionado a ter que ir a médicos e dentistas, por exemplo. Por isso, propor brincadeiras que se passem em consultórios médicos, utilizando kits com utensílios médicos de brinquedo pode ser uma ótima opção. Inclusive, algumas crianças se sentem mais seguras quando vão à consulta médica com seu próprio kit.

É possível, ainda, utilizar a leitura para ajudar a criança com medo, há diversos materiais no mercado editorial que contam histórias positivas e divertidas sobre idas ao dentista, por exemplo. Você pode selecionar alguns de acordo com o perfil do seu filho e aproveitar o momento para acabar de vez com o medo, sem deixar qualquer trauma. Inclusive, a prática da leitura estreita a relação entre mãe e filho, e estimula hábito de ler.

Incentive a criança a superar o medo

Qualquer que seja a estratégia escolhida, tenha em mente que você, como responsável, tem um papel fundamental na vida de seu filho. Estar ao seu lado incentivando-o a superar os medos, e demais desafios que ele enfrentará durante seu desenvolvimento, faz parte da sua jornada.

Portanto, ajude-o a superar seus medos mostrando que você estará com ele sempre. Tenha certeza que seu filho se sentirá muito mais seguro ao dormir sozinho, ir ao médico e ouvir o barulho de tempestades, por exemplo, ao saber que pode contar com você.

Conforme você deve ter percebido, é importante se manter atento ao desenvolvimento da criança para entender de onde vem o medo e agir para superá-lo. Porém, há situações mais sérias em que é necessário buscar ajuda.

Nesses casos, não tenha receio ou sinta culpa, caso sinta necessário, um profissional qualificado é a melhor escolha para ajudar a criança com medo, a resolver o problema e garantir a ela um desenvolvimento saudável.

Gostou deste post? Então, assine a nossa newsletter e receba diretamente em seu e-mail conteúdos como este!

Deixe seu comentário