Viajar de avião com um bebê: dicas para evitar surpresas

01 abr
0 comentário(s)

Viajar de avião com um bebê costuma gerar muita ansiedade nos pais, mas a verdade é que não é diferente de muitas outras atividades que aprendemos a fazer com eles a tiracolo, como compras no supermercado ou no shopping.

Com alguns ajustes e um bocado de paciência e planejamento, a missão é menos impossível do que parece. Por isso, reunimos aqui algumas dicas para facilitar essa empreitada. Confira!

Com que idade um bebê já pode viajar?

Em geral, as companhias aéreas aceitam recém-nascidos a partir dos 7 dias de vida. No entanto, os pediatras recomendam deixar para viajar de avião apenas após os 3 meses, quando o sistema imunológico está um pouco mais reforçado e as primeiras doses de algumas vacinas já foram tomadas. O ideal é sempre consultar o médico do seu filho antes de tomar essa decisão.

Quanto à cobrança da passagem, segundo a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), até os dois anos, desde que não ocupem um assento, são isentos de taxa de embarque. Em voos internacionais, a companhia pode cobrar um valor que não ultrapasse 10% da tarifa cheia.

Quais documentos levar?

Essa etapa é muito importante, já que alguns documentos das crianças são obrigatórios ao embarque. Porém, variam de acordo com o tipo de viagem.

Nacional

É preciso levar identidade ou certidão de nascimento. Além disso, menores de 12 anos devem estar acompanhados de um dos pais, caso contrário, é preciso autorização judicial assinada e confirmada em cartório pelos pais ou responsáveis legais.

Vale a pena levar também a carteira de vacinação. Pode ocorrer alguma intercorrência durante a viagem, como algum paciente apresentar sintomas de doença infecto contagiosa, e será preciso verificar a imunização da criança para tomar as devidas precauções.

Internacional

Além dos documentos já citados, é preciso levar passaporte e visto, se o país de destino exigir. Para sair do país acompanhada por apenas um dos pais é preciso autorização do outro, com firma reconhecida.

Como acomodar o bebê durante o vôo?

Outra preocupação é como acomodar o bebê durante a viagem, pois, dependendo da duração pode ser cansativo ficar com ele no colo todo o tempo, principalmente se não houver com quem revesar.

O carrinho de bebê pode ser usado até a porta da aeronave, quando é desmontado e despachado, sem contar pro limite de bagagem. Durante o voo, algumas companhias aéreas oferecem um berço desmontável, disponível apenas em aeronaves maiores, devendo ser solicitado com antecedência.

Outra opção é levar um bebê conforto, porém, é preciso pagar por um assento para o bebê. Além disso, é importante verificar com a companhia se é aceito, algumas exigem modelos internacionais com indicação para uso em aviões.

Por último, especialmente com os menores, você pode usar um sling ou carregador tipo canguru, seu bebê fica aconchegado no colo e você com os braços livres.

O que levar na bagagem de mão?

Não é muito diferente da bolsa que você costuma carregar quando sai para passear com ele, porém com as quantidades adequadas ao tempo de voo. Mas para facilitar a sua vida, assim como já fizemos para a mala de viagem, preparamos uma listinha:

  • uma ou duas mamadeiras vazias, se usar;
  • leite em pó e papinhas, caso a companhia aérea não forneça;
  • chupetas e objetos de referência, como um bichinho, mordedor ou naninha;
  • fraldas, lenço umedecido, algodão, pomada para assadura e trocador, que podem ser descartáveis;
  • duas mudas de roupa, paninhos de boca, um agasalho e coberta;
  • brinquedos silenciosos para entreter o pequeno sem incomodar os demais;
  • medicamentos corriqueiros, como para febre e outros que sejam de uso contínuo, nesse caso o ideal é levar a receita médica também.

Quais os cuidados na decolagem e aterrissagem?

Para evitar a dor de ouvido causa pela pressurização é importante colocar o bebê para sugar no momento da decolagem. Se for o caso, é a hora perfeita para amamentá-lo, ou então, oferecer a mamadeira e a chupeta.

Mesmo que você esteja utilizando um bercinho, nesses momentos seu filho deverá ficar no seu colo. Muitas companhias fornecem um cinto especial para eles, que fica preso ao seu, porém no Brasil, não é um item obrigatório.

Como viajar de avião com um bebê com mais tranquilidade?

É preciso ajustar suas expectativas, confinar um bebê ou criança pequena em um espaço fechado e com limitações de mobilidade e atividade não é tarefa fácil. Viajar com filhos pequenos dá trabalho, é cansativo, exige planejamento e jogo de cintura.

Por isso, é importante se preparar e algumas estratégias e dicas podem ajudar a tornar essa aventura mais tranquila.

  • se o voo for longo e seu bebê já tiver um padrão de sono estabelecido, viajar à noite pode ser uma boa alternativa, pois ele deve dormir a maior parte do tempo;
  • para os maiores, vale prepará-los para a viagem, explicar o que vai acontecer, o tempo que leva, o que pode e o que não pode no avião, mostrar fotos etc;
  • uma viagem de avião não se trata apenas do período dentro da aeronave, mas envolve o tempo no aeroporto, filas de embarque, caminhadas e muita espera. Assim, aposte em brincadeiras para entreter o pequeno, mas guarde algumas fichas para o avião, deixe andar e engatinhar bastante no saguão, para gastar energia;
  • leve na bagagem de mão alguma novidade para distraí-lo durante a viagem, uma revistinha nova, cartela com adesivos e livros podem ajudar os mais crescidinhos. Para os menores, leve o brinquedo favorito ou um daqueles que estava esquecido ou guardado há muito tempo. Além disso, essa é aquela hora em que o tablet se torna um aliado;
  • mantenha a calma, bebês choram, tanto no avião como em qualquer outro lugar, por isso, não se preocupe tanto com os outros e foque em descobrir o que está causando o choro;
  • aliás, a dica de ouro é antecipar-se as necessidades do bebê atendidas, ou seja, evitar que ele fique com fome, sono e com a fralda suja por muito tempo. Muitas vezes estamos envolvidas com outras coisas e achamos que não faz mal o pequeno esperar um minutinho e aí quando ele coloca a boca no trombone fica muito mais difícil controlar a situação;

Com a prática fica cada vez mais fácil lidar com as situações que podem surgir ao longo da viagem e a própria criança se habitua. Viajar de avião com um bebê deixa muita mãe insegura, mas apostamos que com essas dicas um monte de gente vai criar coragem!

Então, se você curtiu não deixe de compartilhar nas redes sociais, quem sabe você não convence outra amigas a encarar essa com você!

 

Deixe seu comentário