Piolhos: como lidar com esse problema?

27 nov
0 comentário(s)

Embora adolescentes e adultos também possam pegar piolhos, é nas cabecinhas das crianças que eles mais gostam de ficar. Por isso, antes de você começar a se coçar, vamos falar um pouco sobre a pediculose?

Trata-se da doença provocada pela infestação de piolhos — o parasita Pediculus humanus capitis — e seus ovos, ou seja, as lêndeas. São insetos que se alimentam do sangue do couro cabeludo.

As fêmeas colocam cerca de 300 ovos por ciclo, pontinhos brancos que ficam grudados aos fios, especialmente, na parte posterior da cabeça, atrás das orelhas e nuca, e eclodem entre 7 e 10 dias.

Por isso, é preciso acabar com as lêndeas para que o problema não retorne em uma semana. Pensando nisso, o post de hoje ensina a lidar com os piolhos, explicando como se dá a transmissão e traz dicas sobre o tratamento e prevenção. Confira!

Transmissão: como as crianças pegam

Os piolhos, bichinhos pretos bem pequenos, não pulam e nem voam, porém, são carregados pelo vento de uma cabeça para a outra, especialmente durante o contato físico. Por isso, são tão comuns no ambiente escolar, onde o contato entre as crianças é muito frequente, seja pelas brincadeiras ou pelas manifestações de carinho entre elas.

Além disso, o piolho adulto sobrevive cerca de 48h fora do couro cabeludo e pode ser transmitido pelo compartilhamento de objetos pessoais, como escovas de cabelo, chapéus, assessórios, toalhas, lençóis e travesseiros.

Tratamento: para acabar com piolhos e lêndeas

O tratamento indicado varia um pouco com a idade da criança, os mais novinhos e os alérgicos não devem usar medicamentos, sendo a retirada manual a mais recomendada.

Vejamos as opções:

Pente fino

A retirada manual dos piolhos com o pente fino ainda é a maneira mais eficaz de erradicar o problema, devendo ser priorizada no caso de crianças menores de 2 anos, pessoas com alergia aos medicamentos e grávidas.

Além disso, mesmo que se use algum produto, farmacológico ou natural, é fundamental passar o pente em todo o cabelo, mecha por mecha, para retirar os insetos e ovos.

Atualmente, há ainda o pente eletrônico, que emite um som em uma frequência que não incomoda os humanos, mas pode matar os insetos. O apito também se torna mais alto ao encontrar o piolho, facilitando a caça.

Vinagre

O vinagre é excelente para o combate aos piolhos, especialmente para a retirada das lêndeas. Ele remove a substância que gruda os ovos nos fios e o seu pH ácido ajuda na remoção dos piolhos.

Aplique com um algodão próximo à raiz para a remoção das lêndeas e passe o pente fino para a retirada dos bichinhos.

Xampus específicos

Nas farmácias não faltam opções de xampus para o tratamento de piolhos, mas é importante ficar atento às recomendações etárias e às doses para não excedê-las.

Os produtos à base de Permetrina e Ivermectina são os mais recomendados. Aqueles que contém álcool em sua fórmula não são indicados para menores de 2 anos.

Alguns médicos recomendam reaplicar o produto cerca de uma semana depois para garantir a cura.

Prevenção: os cuidados essenciais

Tão importante quanto o tratamento são as medidas de controle, já que os piolhos são altamente contagiosos. De nada adianta erradicar o problema da cabeça do seu filho, se a turma toda estiver contaminada.

Por isso, alguns cuidados são essenciais:

  • Avisar a escola! Piolho não tem qualquer relação com falta de higiene ou condição social, não há porque se envergonhar. Uma vez ciente do problema, a escola poderá tomar medidas de controle e orientar outros pais;
  • Evitar o compartilhamento de pentes, escovas, toalhas etc;
  • Lavar com água quente e passar a ferro as roupas de cama, além de trocá-las diariamente até acabar com a infestação;
  • Inspecionar rigorosamente a cabeça da criança diariamente com o pente fino, evitando novas infestações;
  • Verificar os cabelos das pessoas próximas, irmãos mais velhos e adultos que convivam com a criança;
  • O corte de cabelo raramente é necessário, porém, quanto mais longos, maior a superfície de contato disponível para o inseto se agarrar. Por isso, se já estiver nos planos, não custa adiantar o corte!

Além da coceira, os piolhos não causam nenhum outro problema de saúde mais grave. No entanto, o ato de coçar pode provocar pequenas feridas no couro cabeludo. Como são  muito comuns e atacam em qualquer época do ano, o melhor remédio é a observação constante e o tratamento precoce, já nas primeiras infestações.

Se você curtiu nossas dicas, não deixe de compartilhar com outras mães e pais nas suas redes sociais.

 

Deixe seu comentário